10 motivos que reforçam a sustentabilidade do milho

10 motivos que reforçam a sustentabilidade do milho

Diversas vezes falamos aqui no blog sobre a sustentabilidade do milho e como o cereal vem ganhando destaque na agricultura brasileira e mundial. No artigo de hoje, vamos explorar um pouco mais este aspecto, com 10 motivos que reforçam a sustentabilidade do milho e todo o destaque que ele vem tendo ultimamente.

 1 – Crescimento do milho está aliado à preservação

Um dos sinônimos da sustentabilidade é a não abertura de novas áreas para a agricultura. O milho vem crescendo vertiginosamente na agricultura brasileira, mostrando sua força e valência, sem que isso esteja diretamente ligado à abertura de novas áreas. A produção da cultura do milho cresceu 360% nos últimos 30 anos, enquanto as áreas plantadas cresceram apenas 53% no mesmo período.

sustentabilidade do milho e a preservação

2 – Alta produtividade e eficiência do milho

 O crescimento científico e tecnológico possibilitou um salto de eficiência na cadeia produtiva do milho. Nos últimos 30 anos, a produtividade cresceu 200%. Isso significa que estamos colhendo centenas de vezes mais em uma mesma área, se comparado com o que era feito em 1990.

alta produtividade e sustentabilidade do milho

3 – Cultivo em segunda safra do milho

Atualmente, mais de 70% do milho produzido no Brasil é cultivado na 2ª safra, o que possibilita maior oferta de produtos e aproveitamento das áreas agrícolas, além de fomentar o cultivo em sucessão com a soja e, consequentemente, não exigindo a abertura de novas áreas para plantio.

cultivo do milho em segunda safra

4 – Biocombustível de milho

O uso do milho como matéria-prima para biocombustível vem crescendo muito nos últimos anos. A expectativa é que, em 2030, 9,6 bilhões de litros do biocombustível tenham o milho como fonte principal, o que significa quase 20% do total produzido.

biocombustível e a sustentabilidade do milho

5 – Geração de empregos na cadeia do milho

Em 2020, as cadeias de cereal (da qual o milho é o principal representante) empregaram mais de 505 mil pessoas, cerca de 10% de todas as cadeias da agricultura e 6,2% da participação no total do setor agropecuário.

geração de empregos na cadeia do milho

6 – Receitas e saldo de exportações da cadeia do milho

Em 2020, o Brasil exportou U$5,8 bilhões em milho, o que representa um saldo positivo de U$5,6 bilhões para a balança comercial brasileira. Na última década, o cereal já entregou cerca de 50 bilhões de dólares em saldo ao Brasil.

exportações e a sustentabilidade do milho

7 – Cultivo do milho em consórcio e plantio direto

A cultura do milho se dá muito bem nos sistemas de cultivo em consórcio, o que possibilita a diversificação de espécies, cultivo de adubo verde e melhoria nos atributos físico-químicos do solo.

sustentabilidade do milho

8 – O papel do milho na rotação de culturas

Além de funcionar muito bem nos cultivos em consórcio, o milho também é constantemente utilizado na rotação de culturas. Em regiões com cultivo intenso de leguminosas, o milho se insere como alternativa na quebra do ciclo de pragas e doenças, além de contribuir para a preservação dos solos.

9 – O milho é modelo de economia circular

Na indústria consumidora de milho, muitos subprodutos gerados são facilmente reutilizados e possuem alto valor agregado, como é o caso do DDG e do WDG, compostos de elevado valor proteico e que são constantemente utilizados na nutrição animal.

10 – Milho é fonte de alimento e proteína

Além de muito utilizado para compor a alimentação animal, o milho também é um grande aliado para a nutrição humana, sendo ótima fonte de proteína. Para ilustrar, a cada 100 gramas de milho, podemos encontrar 10 gramas de proteína e até 70 gramas de carboidratos.

menino sem camisa comendo uma espiga de milho

Após estes 10 tópicos, ficou claro o quão importante o milho é para a agricultura e também para a sustentabilidade. Confira no blog outros conteúdos sobre a cadeia do milho e siga a página da Nidera Sementes no Instagram para saber mais sobre a marca especialista em sementes.

Fonte: 

Markestrat com base em Abimilho, Cepea, Mapa, Unem e bases secundárias.

Deixe um comentário