A sustentabilidade do etanol de milho

A sustentabilidade do etanol de milho

O etanol de milho vem ganhando destaque no Brasil e no mundo e possui diversos benefícios quando comparado com outros combustíveis. No artigo de hoje, vamos destacar a sustentabilidade do etanol de milho e todos seus benefícios na busca de uma energia limpa.

A sustentabilidade do milho e a produção de etanol

Sustentabilidade é palavra de ordem no agronegócio. A cadeia do milho não fica de fora nesse aspecto, inclusive, muitos produtores já aderiram ao sistema ILPF: Integração Lavoura, Pecuária e Floresta.

A sustentabilidade do milho se dá por se tratar de uma cultura anual e com safras bem definidas. O fato de ser uma cultura de sucessão, plantada após a colheita da soja, também ajuda bastante. 

Pontos favoráveis para a sustentabilidade do etanol de milho

Quando o assunto é sustentabilidade, a cadeia do etanol de milho apresenta diversos pontos favoráveis para o desenvolvimento da economia ao meio ambiente.

esquema com a sustentabilidade do etanol de milho

Etanol de milho é referência na proteção ambiental e matriz de energia limpa

Em tempos onde a sustentabilidade é cada vez mais presente nas agendas oficiais dos governos em todo o mundo, o etanol de milho surge como alternativa de energia limpa e um modelo referência na proteção ambiental e na redução de emissões de CO2 na atmosfera.

  • Integração ao RenovaBio – Conforme informações da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, o principal instrumento do RenovaBio é o estabelecimento de metas nacionais anuais de descarbonização para o setor de combustíveis, de forma a incentivar o aumento da produção e da participação de biocombustíveis na matriz energética de transportes do país. A integração ao RenovaBio possibilita aperfeiçoamento dos parâmetros sustentáveis das usinas, rastreabilidade da cadeia produtiva do milho e contribuição na redução das emissões de CO2
  • Estímulo a outras cadeias produtivas – O etanol de milho estimula o crescimento da pecuária, o aumento da produtividade e da eficiência na atividade de produção animal e a produção de outras culturas na primeira safra.
  • Redução na emissão de gases – O milho apresenta emissão de carbono muito baixa comparado a outras culturas. Pesquisas mostram resultados entre 25,9g CO2e/MJ. a 4,5g CO2e/MJ nas emissões.

O milho de segunda safra protege o solo

Como já falamos anteriormente, o milho utilizado na produção de etanol é o milho da safrinha, justamente o que é plantado no período de entressafra da cana-de-açúcar, onde as usinas de etanol ficam praticamente paradas. Entre os benefícios do milho de segunda safra, podemos destacar:

  • Mesmo em período com condições climáticas inferiores, o milho de segunda safra possui produtividade elevada;
  • Otimização do solo;
  • Sistema de rotação de culturas favorecendo parâmetros biológicos e nutricionais do solo;
  • Acúmulo de carbono no solo e redução da degradação com a cobertura vegetal.

Acompanhe novos conteúdos sobre o etanol e toda a cadeia do milho aqui no blog. Aproveite e siga a Nidera Sementes no Instagram para mais informações sobre o agronegócio.

Fontes

Neves et al. (2021). Livro “Etanol de Milho: Cenário Atual e Perspectivas”. 

ESALQ USP

Governo Federal

Etanol de Milho

Deixe um comentário