Cadeia do milho em julho e o que esperar para o mês de agosto

Cadeia do milho em julho e o que esperar para o mês de agosto

A cadeia do milho em julho foi marcada por atualizações das projeções sobre a safra 2022/23 e por outros fatos importantes, como o acordo de exportações com a China, a possível retomada das exportações pela Ucrânia e o avanço da safra de milho nos EUA. No artigo de hoje, vamos abordar esses pontos para auxiliar o produtor em suas tomadas de decisão.

A cadeia do milho, em julho, foi marcada por atualizações das projeções sobre a safra 2022/23 e por outros fatos importantes, como o acordo de exportações com a China, a possível retomada das exportações pela Ucrânia e o avanço da safra de milho nos EUA. No artigo de hoje, vamos abordar esses pontos para auxiliar o produtor em suas tomadas de decisão.

Exportações de milho para a China devem iniciar em 2023

Como vimos aqui no blog anteriormente, Brasil e China firmaram um acordo sobre o envio do milho brasileiro ao país asiático, mas o início dessas operações só deve acontecer a partir de 2023; antes, serão cumpridos protocolos sanitários e de quarentena que estão sendo alinhados entre os países.

Ucrânia deve retomar as exportações de grãos

A Ucrânia é um dos principais players da cadeia de milho mundial, e, por conta dos conflitos com a Rússia, teve seus embarques paralisados. A boa notícia é que, em breve, as exportações devem ser retomadas. Um acordo entre Rússia e Ucrânia vem sendo discutido há dias, e parece que teremos um final positivo, com a assinatura acontecendo muito em breve.

Safra do milho evolui nos EUA, mas com atenção para as condições climáticas

O principal produtor de milho do mundo vê a evolução da sua safra com boas condições, embora um pouco abaixo dos indicadores registrados no ano passado. Os produtores seguem com o sinal de alerta ligado para as condições climáticas – tanto agora, no desenvolvimento da cultura, quanto no final do ciclo –, já que o fenômeno La Niña ainda é uma ameaça com grandes riscos. Esses acontecimentos têm abalado o mercado e os preços dos grãos, especialmente de milho e soja, esta com evolução lenta nas vendas.

5 pontos de atenção para a cadeia do milho em agosto

Para auxiliar o produtor nas tomadas de decisão no mês de agosto, separamos cinco pontos de atenção sobre a cadeia do milho, sendo eles:

  1. Evolução da colheita de milho de segunda safra no Brasil: a colheita da segunda safra de milho segue a todo vapor, com cerca de 50% das lavouras colhidas. O estado do Mato Grosso, maior produtor nacional de milho, deve ter a sua colheita finalizada nos próximos dias.
  1. Clima no Brasil: apesar de ter bom ritmo de colheita de milho de segunda safra, e com boa perspectiva de resultados, é necessário ficar atento ao clima no Brasil para entender impactos pontuais, especialmente para as culturas de inverno, como o trigo.
  1. Retomada das exportações pela Ucrânia: como falamos acima, a retomada das exportações ucranianas deve acontecer em breve. É um tópico sensível e que merece a nossa atenção, uma vez que impacta de forma direta a oferta do grão em todo o mundo e, consequentemente, a dinâmica dos preços.
  1. Estimativas de produção de grãos na safra 2022/23: no mês de agosto são feitas as primeiras divulgações da Conab sobre as estimativas para a safra brasileira de grãos no próximo ciclo. Vale acompanhar os números para confirmar as projeções do USDA, departamento norte-americano de agricultura.
  1. Oscilações do câmbio e movimentos na economia brasileira: por último, mas não menos importante, recomendamos o acompanhamento dos indicadores da economia brasileira, especialmente por estarmos em ano eleitoral – o que torna o mercado mais volátil. Um exemplo claro é que a cotação do dólar voltou a subir em julho, o que impacta diretamente os custos de produção, mas também tem reflexos positivos nos ganhos com os produtos exportados.

Neste artigo, reunimos o que aconteceu de mais relevante na cadeia do milho em julho. Continue aqui no blog para acompanhar outras informações sobre o cereal. Além disso, você pode seguir a nossa página no Instagram para ter acesso a outros conteúdos sobre a marca especialista em sementes.

Fonte

Prof. Marcos Fava Neves, Vinícius Cambaúva e Markestrat Group.

Deixe um comentário