Etanol de milho e as projeções de produção para o biocombustível

Etanol de milho e as projeções de produção para o biocombustível

A produção de etanol de milho vem numa verdadeira crescente nos últimos anos e tem projeções bem animadoras para os próximos. Quer saber mais sobre a projeção da demanda do milho para a produção do biocombustível no Brasil? Então esse artigo de hoje foi feito especialmente para você.

Cenário atual da produção de etanol de milho no Brasil

Os números de 2020 sobre a produção de etanol de milho no Brasil foram excelentes e apresentaram um crescimento de 58% quando comparados ao período anterior.

Hoje, no Brasil, existem 17 usinas que usam o milho como matéria-prima para o biocombustível. 99% da produção ocorre em Goiás e no Mato Grosso. Outros estados brasileiros que possuem usinas são o Paraná e São Paulo, responsáveis por 1% da produção total.

Para acompanhar todo esse crescimento da produção do milho e do biocombustível, anualmente temos a entrega de 2 a 3 novas usinas.

Rendimento da produção de etanol de milho e seus coprodutos

Mil toneladas de milho produzem aproximadamente 425 mil litros de etanol, mas se engana que é somente isso que o milho usinado pode produzir. Além da produção do etanol, mil toneladas de milho podem render também:

  • 312 toneladas de DDG;
  • 12,5 toneladas de óleo de milho;
  • 12,5 MW/h de bioeletricidade.

Aqui vale um destaque para o DDG: o DDG é o grão seco do milho após a destilação e vem ganhando espaço no mercado nacional e internacional, já que pode ser uma alternativa viável à alimentação animal devido seu teor proteico, podendo, inclusive, concorrer com o farelo da soja.

Projeção de crescimento na produção de etanol de milho até 2028

Se em 2013 tínhamos a modesta produção de 11 milhões de litros de etanol de milho em terras brasileiras, em 2021 temos projeções impressionantes que apontam para uma produção de 2,24 bilhões de litros. Quando olhamos ainda mais além, até 2028, a estimativa da UNEM (União Nacional do Etanol de Milho) é de 8 bilhões de litros de etanol do cereal produzidos no Brasil.

histórico e projeção da produção de etanol de milho no Brasil

Esse crescimento deve demandar quase 19 milhões de toneladas do cereal, um crescimento anual de quase 20% no volume adicional do grão.

Maior produção de milho para biocombustível, mais área necessária para o plantio

Como falamos no artigo sobre o consumo interno do milho e suas finalidades, o etanol responde hoje por 4% do consumo da produção nacional, mas essa demanda deve crescer 254% até 2028. Para atender toda essa demanda, serão necessários 3,4 milhões de hectares adicionais, o que significa a abertura de novas áreas, já que mais de 80% do milho no Brasil é cultivado em 2a safra, em áreas de soja.    

Demanda de milho para etanol de milho e demanda de área para produção

E quais os pontos positivos do Etanol de Milho?

Como vimos no decorrer do artigo, o biocombustível a base do cereal seguirá em alta por bons anos e, entre os principais benefícios e pontos positivos, podemos destacar os seguintes:

  • Visibilidade para a economia verde, uma vez que o biocombustível à base de milho gera até 70% menos gases ao efeito estufa quando comparado à gasolina;
  • Geração de empregos em toda a cadeia do milho devido o aumento da demanda;
  • Diversos coprodutos;
  • O aumento da produção pode suprir uma demanda nacional de combustível, sendo que, hoje, importamos 7 bilhões de litros de gasolina.

Não perca novas informações sobre a cadeia do milho. Leia os outros conteúdos aqui no blog Somos Milhões e siga o Instagram da Nidera Sementes no Instagram.

Fontes:

Markestrat com base em UNEM, CONAB e usinas de etanol de milho.

Canal Rural; Canal Rural; Canal Rural

Forbes

Este post tem 2 comentários

Deixe um comentário