Plantio de milho: conheça 8 boas práticas de plantabilidade

Plantio de milho: conheça 8 boas práticas de plantabilidade

Você já ouviu falar em plantabilidade? A plantabilidade é a ciência do plantio, a parte técnica que faz toda a diferença para o resultado da safra. Quando seguimos as boas práticas de plantabilidade, é possível ter uma safra de qualidade e com resultados bastante expressivos. No artigo de hoje, vamos trazer 8 boas práticas para o plantio de milho. Vamos lá?

8 boas práticas de plantio de milho

1 – Entenda as condições edafoclimáticas da sua região

Entender se as condições de solo e clima são adequadas para o plantio de milho é a premissa que impacta diretamente nos resultados de produtividade. 

2 – Cuidado com as temperaturas

Para o cultivo de milho, as temperaturas variam entre 10ºC (mínimo) e 42ºC (máximo), sendo que a faixa ideal é entre 25 e 30ºC. Um ponto de atenção é com as temperaturas durante a noite, já que longos períodos de temperatura elevada reduzem o rendimento de grãos.

3 – Atenção com o solo

Quando falamos sobre o solo no plantio de milho, temos que levar em consideração as propriedades deste solo e a profundidade efetiva. É importante observar a capacidade de uso e aptidão agrícola do solo e fazer correções (físicas e químicas) se necessário. Sobre a profundidade efetiva, o desejável é que seja maior que 50 cm para possibilitar o bom desenvolvimento do sistema radicular do milho.

4 – Utilize sistemas produtivos sustentáveis

Esse tipo de sistema favorece as condições químicas, físicas e biológicas do solo. A segunda safra de milho, iniciada após a colheita da soja, é um exemplo de cultura sustentável e possibilita a manutenção de áreas protegidas, uma vez que o aumento na produção do grão não se traduz na abertura de novas áreas. Outro exemplo é o papel do milho em sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta, que você pode conhecer mais clicando aqui.

5 – Época de plantio bem definida

Defina bem a época do plantio, de modo que a floração do milho e a fase de enchimento dos grãos coincidam com os períodos chuvosos. Se o seu modelo for com milho irrigado, ele poderá ser plantado o ano todo, desde que na sua região não ocorra eventos como geadas, que foram uma das principais causas da quebra da produtividade no ciclo passado.

6 – Profundidade de plantio merece atenção

Cada tipo de solo exige uma profundidade diferente. Para solos argilosos, a profundidade recomendada é de 3 a 5 centímetros. Já em solos mais leves e arenosos, o recomendado é que a profundidade esteja entre 5 e 7 centímetros. Isso é determinante para a boa emergência das plântulas.

7 – Cuidado com a velocidade de plantio

Teste e regule frequentemente os equipamentos para entender quais são as melhores condições para sua propriedade. No caso de semeadoras de disco, o recomendado é que nunca ultrapasse 6 km/h. Para as pneumáticas, pode ser adotada uma velocidade um pouco maior, dependendo da topografia do terreno.

8 – Escolha sementes de qualidade

A qualidade da semente é fundamental para o sucesso da safra. De nada adianta você seguir à risca os passos anteriores e utilizar híbridos de qualidade duvidosa. Uma marca especialista em sementes e com um dos maiores bancos genéticos do mundo é a melhor escolha, de acordo com a sua região e seus objetivos.

Gostou deste conteúdo sobre o plantio de milho? Acompanhe os outros artigos do blog sobre a cadeia do milho e siga a nossa página no Instagram para conhecer nossos produtos e outros materiais.

Fonte

Markestrat baseado em CargoX (2021) e profissionais do setor

Deixe um comentário