Projeção do milho nos EUA: confira as perspectivas para o futuro

Projeção do milho nos EUA: confira as perspectivas para o futuro

O milho movimenta anualmente trilhões de dólares nos EUA. É um mercado que possui uma fatia significativa na economia estadunidense, gerando milhões de empregos, bilhões em salários, e mais algumas boas centenas de bilhões em impostos aos cofres do governo. No artigo de hoje, vamos entender qual é a projeção do milho nos EUA, traçar um comparativo com a década passada e entender quais são as perspectivas para o futuro da produção e consumo do cereal no maior produtor mundial.

85% do milho produzido nos EUA é consumido internamente

Das 360,3 milhões de toneladas de milho produzidas em 2020, 305,8 milhões foram consumidas internamente nos EUA, o que representa 85%. A exportação foi o destino das 64,8 milhões de toneladas do cereal que não foram consumidas internamente.

produção e consumo de milho nos EUA em 2020

Se traçarmos um comparativo entre consumo interno BR x EUA, veremos que o foco americano é produzir para consumir, enquanto aqui no Brasil, boa parte da produção é destinada à exportação: EUA consomem internamente 85% da sua produção total, enquanto o Brasil consome pouco mais de 67%.

Outra diferença significativa é o destino desse consumo interno:

  • Brasil: 86% para alimentação animal. O restante é distribuído da seguinte forma: 40% para biocombustíveis, 18% em alimentação humana e 42% para indústrias diversas, como a de bebidas alcoólicas e cosméticos.
  • EUA: 45,6 para a alimentação animal. Do saldo, 79,8% são direcionados para biocombustíveis e apenas 3,2% para a alimentação humana.


O que esperar da produção de milho nos EUA até 2030?

Assim como foi traçada uma projeção da produção de milho no Brasil até 2030, a mesma coisa também foi feita para o milho nos EUA. O esperado é que em 2030 a produção norte-americana chegue aproximadamente em 390 milhões de toneladas, respondendo por quase 30% do total global.

histórico e projeção do consumo de milho nos EUA

Nos últimos 10 anos, a produção de milho nos EUA cresceu quase 14%, saindo de 316 para 360 milhões de toneladas; volume adicional de 44 milhões de toneladas.

Até 2030, o país norte americano deve ampliar ainda mais a produção, em um ritmo um pouco mais lento, mas ainda entregando volumes significativos. O volume total produzido em 10 anos deve se aproximar das 390 milhões de toneladas, aumento de 7,9%.

Projeção de consumo de milho nos EUA até 2030

O crescimento da produção acompanha o crescimento da demanda. O consumo interno de milho nos EUA deve ser de quase 330 milhões de toneladas, o que representa 25% do total global.

histórico e projeção do consumo de milho nos EUA

Nos próximos 10 anos, o crescimento deve ser um pouco superior ao da década passada, alcançando uma demanda total de 328,9 milhões de toneladas em 2030. Ainda assim, vale destacar que, novamente, o crescimento na demanda será inferior ao da produção, gerando superávit.

Crescimento da produção e consumo indicam saldo positivo para o futuro

O balanço entre a produção e o consumo do cereal nos EUA nos mostra que a tendência é de ampliação no saldo positivo de milho no país.

Em 2010, o país registrou 31,2 milhões de toneladas; 5 anos depois, o saldo já se aproximava de 50 milhões de tons. No ano passado, o país gerou quase 55 milhões de toneladas, e deve ampliar em mais 5,5 milhões até 2030.

Nas estimativas da FAO, o crescimento anual do saldo positivo será de 550 mil toneladas, graças ao desenvolvimento da produção em nível mais elevado que o aumento na demanda interna do grão.

histórico e projeção de consumo de milho nos EUA

Se confirmadas as projeções, o saldo positivo dos EUA deve chegar em quase 60 milhões de toneladas de milho, o mesmo que a produção total da Argentina.

Esse foi o primeiro artigo de uma série que falaremos sobre as projeções do milho ao redor do mundo. Acompanhe aqui no blog e siga a Nidera Sementes no Instagram para não perder nenhum conteúdo.

Fonte

Markestrat com base em OCDE-FAO Agricultural Outlook 2020-2030.

Este post tem um comentário

Deixe um comentário