Transporte de grãos no Brasil: o que move o milho e a soja brasileira?

Transporte de grãos no Brasil: o que move o milho e a soja brasileira?

O Brasil é o maior produtor de soja do mundo e o terceiro maior produtor global de milho, mas como funciona o transporte desses grãos? No artigo de hoje, vamos falar um pouco mais sobre o transporte de grãos no Brasil, quais são os modais mais utilizados para o transporte de milho e o que podemos esperar para o futuro. Vamos lá?

O transporte rodoviário é o mais utilizado no Brasil para cargas em geral

Mais de 60% das cargas brasileiras são transportadas pelas rodovias, segundo a Embrapa. 

distribuição dos modais de carga no Brasil

O modal ferroviário, principal meio de transporte de grãos, ocupa uma fatia de mercado de 20,7%, ou seja, menos de 1/3 do total transportado no Brasil, mas em constante crescimento. A seguir, vamos falar um pouco mais dessa modalidade.

Transporte de grãos por ferrovias vem ganhando cada vez mais espaço

Hoje, quase 50% do transporte de grãos no Brasil é feito por ferrovias. Para exemplificar esse crescimento, podemos comparar o volume transportado via modal ferroviário em 2014 e em 2015: em 2014, foram transportados 12 milhões de toneladas, já em 2015, o volume foi de quase 15 milhões de toneladas, um crescimento de 25%.

modais de carga para logística de grãos

Transporte ferroviário de grãos tem relação com a exportação de soja e milho

A relação entre transporte ferroviário e grãos têm um denominador comum: a exportação da soja e do milho brasileiro, principal destino do que é produzido em nosso solo. É por meio do transporte ferroviário que esses grãos acessam os portos para que sigam o seu caminho em direção a outros países.

Cuidados com o escoamento do milho na hora do transporte

Embora o milho seja um commodity, todo cuidado é pouco na hora do escoamento do grão, por isso, alguns pontos precisam ser considerados:

escoamento do milho
  • Estudo da logística: ponto essencial para determinar a quantidade que será transportada e o caminho mais econômico e seguro para a carga. Já existem softwares que auxiliam o produtor nessa tomada de decisão.
  • Classificação: antes de ser transportado, o milho precisa passar por um sistema de classificação. Esse processo é essencial para garantir o padrão de qualidade exigido pelo mercado em relação a aspectos como pureza e umidade de grãos.
  • Pragas e fungos: outro ponto fundamental que deve ser analisado é a verificação da presença de pragas ou fungos no meio do transporte (carretas, vagões e outros). A presença destes patógenos pode prejudicar a qualidade do grão, mesmo no transporte em curta distância,
  • Segurança: prezar pela segurança dos condutores do veículo, orientando sobre o respeito de velocidade, peso e normas de segurança das vias em que irão trafegar.

O planejamento da safra de milho interfere diretamente no transporte

Os cuidados devem vir desde o planejamento e condução da safra pelo produtor, até a entrega dos grãos ao consumidor final.

planejamento da safra de milho e o transporte de grãos no brasil
  1. É de total importância que o produtor saiba, mesmo antes de inserir as sementes de milho no solo, qual será a finalidade daquele produto. Pra quem eu irei vender? Como eu irei utilizar? São pontos essenciais que auxiliam na escolha da variedade que será plantada.
  1. Após o planejamento de safra, é importante determinar a quantidade que será utilizada para cada finalidade. É importante, por exemplo, definir qual parcela será utilizada para silagem, qual parcela será comercializada, qual será armazenada para vendas futuras; e outras.
  1. Evite surpresas! Esteja atento aos valores do mercado regional e armazene os grãos de modo a evitar a perda de qualidade. Atente-se aos valores e as variações do mercado de grãos para sempre garantir uma boa negociação na hora de vender.
  1. O controle da temperatura e da umidade são imprescindíveis na hora de armazenar os grãos. Atente-se sempre em, antes do transporte, armazená-los em locais apropriados para que não ocorra perdas na qualidade dos grãos. Evite más impressões no mercado.
  1. Calcule todas as perdas estimadas. Tenha na ponta do lápis todas as análises estatísticas dos transportes anteriores e, a partir disso, estime as perdas possíveis. De tal modo você evitará surpresas financeiras.  Um bom negociador é também um bom analista.

Acompanhe outros conteúdos sobre a cadeia do milho aqui no blog Somos Milhões. Siga o Instagram da Nidera Sementes para acompanhar os posts sobre o agronegócio.

Fontes

G1

Markestrat baseado em EMBRAPA (2015). *Soja e Milho.

Markestrat com base em Abimilho e bases secundárias.

Markestrat baseado em CargoX (2021).

Este post tem 2 comentários

Deixe um comentário